terça-feira, 27 de março de 2012

Arroz com lentilha, suflê de abóbora e picanha na cerveja

Nem eu sei de onde eu tirei pique para encarar a cozinha com tamanho respeito em plena segundona. Em vez do tradicional improviso com o que tem na geladeira, resolvi fazer algo mais planejado e elaborado. Tudo bem que isso fez com que a janta saísse quase 10 da noite. Tudo bem que a cozinha ficou uma bagunça (maior do que a de costume). As horas de terapia entre o fogão, a geladeira e a pia (e a cerveja!) compensam tudo isso!
O cardápio da noite foi arroz integral com letinha, suflê de abóbora e picanha na cerveja. Individualmente, os pratos são fáceis de preparar. O que dá trabalho é fazer tudo ao mesmo tempo! Comecei colocando a abóbora pescoço sem casca e cortada em cubos para cozinhar e  parti para o tempero da picanha. Misturei meia cebola picada, pimenta do reino, ervas secas, sal, alho e 1/4 de lata de cerveja. Coloquei os bifes de picanha dentro dessa mistura e reservei. O próximo da fila foi o arroz (mais tarde descobri que deveria ter sido o suflê, que leva mais tempo para ficar pronto). Refoguei uma quantidade generosa de alho picado (umas 2 colheres de sopa) em 2 colheres de Becel sabor manteiga. Adicionei uma xícara de arroz integral, uma xicara de lentinha e deixei fritar por três minutos, mexendo sempre. Coloquei mais duas xícaras de água e deixei cozinhar.  Enquanto o arroz cozinhava, fiz o suflê. Essa receita leva uma cebola pequena ralada, dois ovos, duas colheres de margarina, uma colher de colher de farinha de trigo, queijo branco ralado, um poquinho de noz moscada e sal. Tirei a abóbora do fogo, que já estava bem molinha,  amassei com um amassador de batata e temperei com sal e noz moscada. Em uma panela pequena, fritei a cebola na manteiga até ficar corada e adicionei a farinha, mexendo sempre. Quando essa mistura virou um creme (isso acontece muito rápido), coloquei o leite aos poucos, sem parar de mexer. Misturei esse creme com a abóbora amassada e reservei também para, ufa!, bater as claras em neve. Misturei as claras em neve com o creme reservado até ficar bem uniforme e fofo. Untei um refratário pequeno com óleo em spray, salpiquei o queijo branco, cobri com o creme e coloquei no forno (que já estava quente), onde ficou por 40 minutos. Último passo: tirei a picanha do molho e fritei em uma bistequeira. Para a carne ficar no ponto, eu deixei grelhar 3 minutos de cada lado em fogo baixo.  Para ficar bem passada, acho que bastam 4 minutos. O maior segredo para o preparo de qualquer carne é não ficar fuçando e nem virando a coitada desesperadamente. Tudo leva um tempo na vida, inclusive o cozimento de uma carne. Para quem já está há mais de 1 hora na cozinha, o que são mais 3 ou 4 minutos ?
Recompensa merecida!

Essa foto foi originalmente publicada no blog Todos para Cozinha
Para quem não sabe, essa é a abóbora pescoço!
A vantagem da que eu usei nessa receita é que ela vem direto do sítio do Peter, onde é cultivada sem nenhum agotóxico! Tem um monte lá!