sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Massa para torta sem glúten

Semana passada comecei a testar algumas receitas sem glúten e sem lactose, para atender à crescente demanda por alimentos mais saudáveis e pessoas celíacas ou com deficiência de lactase que buscam mais sabor na alimentação do dia a dia. Essa massa para tortas - criada por mim, que legal! - me surpreendeu muito, pois sua crocância e sabor não deixam nada (nada mesmo!) a desejar em relação à receita tradicional. Dá um pouco de trabalho, como toda torta, mas me diz se não vale a pena? Em uma tigela grande, juntei 300 gramas de farinha de arroz peneirada, 150 gramas de manteiga gelada cortada em cubos e um pouco de sal. Misturei esses ingredientes com a ponta dos dedos até ficarem com a textura de uma farofa (tente esmagar com os dedos as bolotas de manteiga, agregando-as à massa). Acrescentei 1 ovo batido e amassei com as mãos até formar uma massa homogênea. Se necessário, acrescente 1 ou 2 colheres de água gelada. Não se deve, nem precisa, trabalhar muito a massa. Ela fica lisa e brilhante rapidamente! Embrulhei a massa em um papel filme e levei ao refrigerador por uns 20 minutos. Depois, abri 2/3 da massa com um rolo, usando 2 sacos plásticos. Fiz assim: coloquei um saco plástico de polietileno (aqueles usados para congelar alimentos) em uma superfície plana, 2/3 da massa em cima do plástico e cubri com outro saco plástico (costumo abrir os saquinhos com a tesoura para ter certeza de que cobrirão toda a massa). Com a massa entre os dois sacos plásticos, achatei-a levemente com as mãos e depois fui abrindo com o rolo. O disco de massa deve ter cerca de 2 dedos a mais do que o tamanho da forma (usei uma de 18 cm. de diâmetro). Retirei o plástico de cima da massa e, com a ajuda do outro saco plástico, acomodei-a bem no fundo e nas laterais da forma, pressionando-a delicadamente, até preencher todos os espaços livres. Retirei o plástico com cuidado. Recheei generosamente com frango desfiado (refogado com cebola, alho, tomate, milho, ervilha, pimenta do reino, sal e ervas variadas) - mas pode ser o recheio de sua preferência - e reservei. Abri o restante da massa da mesma forma, deixando uma sobra de 1 dedo em relação ao tamanho da forma, e depois cobri a torta recheada. Comecei pressionando levemente a massa contra o recheio e depois "belisquei" toda a borda da torta, juntando as sobras de massa da base com as da cobertura. Pincelei uma gema batida na superfície da torta e levei ao forno alto por cerca de 30 minutos. Ela ficou linda, dourada e apetitosa, pronta para ser levada no almoço de domingo na casa da família. Garanto que ninguém vai perceber que não tem glúten!

Comida democrática com aparência e gosto de comida!