quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Reflexões de um período de repouso

Como vocês sabem, andei meio afastada da cozinha por conta de um pequeno acidente doméstico ocorrido no começo de dezembro. Já são 6 semanas de imobilização, sendo as primeiras 2 com gesso e as outras 4 usando uma bota imobilizadora (vou tirar amanhã). Nesse meio tempo, teve Natal, Ano Novo e aniversário. E, entre uma coisa e outra, ainda saiu umas receitinhas simples e deliciosas. Não publiquei por pura falta de inspiração. Optei por não forçar a barra porque acho que fazer as coisas sem tesão não tem a mínima graça. Na verdade, esse período foi meio um retiro para mim. Me desobriguei de fazer qualquer coisa. Dormi e acordei tarde, me dei o direito de não fazer nada no meio do dia e também de não fazer o que não estava com vontade. O bom é que agora estou voltando descansada, relaxada e cheia de energia para arregaçar as mangas e correr atrás dos objetivos, das resoluções de fim de ano, das panelas e para lugar nenhum. Aprendi que não fazer nada é bom, mas deixar de fazer por preguiça, é ruim. Aprendi a dar tempo ao tempo, deixar a louça pia, fazer o que dá e não fazer o que não dá, sem culpa. Mas, acima de tudo, aprendi a valorizar mais todos os aspectos minha vida. Poder acordar, cozinhar, correr, ir para o trabalho a pé, fazer faxina, fazer o melhor que cada dia pede. Nem que seja simplesmente refletir e esperar o tempo passar! 

Quando não dá pra fazer nada, o jeito é se entregar sem culpa!