quinta-feira, 22 de março de 2012

Omelete rápida... ou não!

Sabe aquele dia que você leva trabalho para casa e tudo que você quer é comer alguma coisa rápida antes de partir para o terceiro round? Dado o cenário, a primeira coisa que passou na minha cabeça foi: omelete com salada. Então lá fui eu lavar a salada e misturar um ovinho com qualquer coisa e jogar na frigideira, certo? Errado. Eu olhei para o fogão, o fogão olhou para mim e é claro que tive que inventar de fazer um omelete um pouco menos simples, que exigia que se batesse a clara de neve separadamente. Para ajudar, essa decisão foi tomada no meio do caminho e eu tive que ir caçando os ingredientes da tal omelete durante a sua preparação. Mas vamos começar do começo. Primeira fase, ok: lavar a saladinha e deixar de molho no vinagre. Segunda fase, ok: cozinhar escarola em um pouco de cebola, tomate e alho refogados. Terceira fase: ai, a terceira fase! Vamos à omelete, começando pela clara em neve. E quem disse que a pessoa aqui tem potência no braço para bater claras em neve? E quem disse que o Julio estava presente para bater rapidamente as claras em neve? Tem batedeira? Não tem. Então vai no processador (valiosíssimo presente da minha tia e amiga Angela). Depois de usar uns três batedores diferentes, deu certo. Não ficou fofão (só fofinho), mas tá valendo. Misturei a gema. Lindíssimo! Mas vai mais coisas além de ovos na omelete...Item 1: o leite. Abre a geladeira, pega o leite, fecha a geladeira. Item 2: a farinha. Abre o armário mega abastecido, tira tudo do armário, para alcançar a farinha escondida atrás e debaixo de tudo. Fecha armário. Item 3: o queijo ralado. Abre o mesmo armário e, graças à Deus (ou ao Julio, que guardou as compras), localiza o queijo rapidamente. Fecha armário. Item quatro: cheiro verde. Não tem. Substui por ervas desidratadas. Aí sim, misturei tudo muito bem, e coloquei para fritar com um pouco de óleo em spray. Para cozinhar a omelete sem destruí-la, basta ir empurrando as bordas com uma espátula em direção ao meio. Assim, a parte crua ocupa o lugar na frigideira antes ocupado pela parte cozida, mais durinha (deu pra entender?). É só fazer isso até todo o conteúdo ficar firme e depois virar a omelete com a ajuda de duas espátulas ou um prato. No final, depois de 1 hora, tudo deu certo. A omelete ficou bonita e bem gostosa. Infelizmente não deu para tirar foto. Fui correndo para o computador, de onde estou saindo só agora. Boa noite!