terça-feira, 15 de janeiro de 2019

Linguiça toscana na moranga. Quero ver você resistir!

Tempo de preparo: 1 hora
Complexidade: simples para média
Número de porções: 4

Não é só de camarão que vive a moranga! 

Apesar de não ser um ingrediente da estação - ela costuma ser colhida no outono - o sítio estava coberta delas nos últimos meses! Então, foi moranga pra todo lado e eu não resisti e peguei logo 3!

A ideia era fazer a receita tradicional, com camarão, mas tinha algumas linguiças que sobraram do churrasco de algum dia (como sempre) e precisavam de um fim!

A receita não é muito rápida e nem tãããão fácil, mas também não é nenhum bicho de sete cabeças. 

Lavei uma abóbora moranga de um pouco mais de 1,5 quilos com uma escovinha e detergente. 

Enxaguei, sequei e retirei as sementes. Descobri que a melhor forma de fazer isso é com a mão mesmo. Sai fácil, fácil!

Se você quiser, pode limpar e lavar as sementes com água corrente e deixar secar pra comer de snac depois! Fica bom! 

Com uma faca grande, cortei uma tampa de cerca de 10 cm de diâmetro ao redor do cabo da moranga.

Bati no liquidificador 1/3 de cebola, 2 dentes de alho, 2 colheres de sopa de azeite, sal e pimenta do reino.

Espalhei essa pastinha dentro da moranga e na tampa.

Embrulhei em papel alumínio e levei ao forno, onde ficou por 40 minutos. 

Ela tem que ficar molinha por dentro, mas não muito, porque voltará ao forno.

Tirei a moranga do forno, retirei uma parte da polpa com uma colher e reservei.

Depois, fiz o refogado.

Tirei a pele e desmanchei com as mãos 3 linguiças toscanas.

Fritei em 1 colher de azeite até ficarem bem sequinhas e douradas.

Juntei 1 tomate picado, a polpa da moranga, 1 pote de requeijão, 1/2 caixinha de creme de leite, 1 punhado de ervas finas secas e pimenta do reino.

Misturei bem e deixei no fogo baixo por 10 minutos (sem tampar).

Coloquei o refogado dentro da moranga, espalhei uma colher de sopa de requeijão em cima e levei novamente ao forno para gratinar.

Depois de 10 minutos, ela estava linda e prontinha para alimentar nossos estômagos e nossas dragas!

Tudo de bom para aquele dia que você tem um pouquinho mais de tempo e inspiração!

E esse tostadinho? 😍










quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

Espaguete ao molho apimentado de alcatra e brócolis

Quem quer comida rápida, gostosa e saudável levanta a mão!!!

Na noite de hoje saiu um super condimentado espaguete com alcatra e brócolis que você pode reproduzir em casa facilmente!

Basta ter alguns ingredientes coringa na manga: um tipo de carne, um legume e condimentos variados!

A versão vegetariana também fica mara, pois o segredo mesmo são os temperos.

Comecei colocando uma panela com água e sal para ferver. 

Quando ferveu, adicionei 1/2 pacote de espaguete. Mexi um pouco para ficar soltinho.

Enquanto o macarrão cozinhava (deve ser cozido um pouco antes do ponto al dente, pois o cozimento será finalizado com o molho), preparei o pseudo molho:

Temperei 2 bifes de alcatra grossos com sal e pimenta do reino e fritei em 1 colher de sopa de azeite em uma frigideira grande e funda, até atingir o ponto mal passado (cerca de 3 minutos de cada lado).

Transferi para uma tábua e cortei em tiras e depois em cubos e reservei.

Na mesma frigideira, acrescentei 1 pimenta malagueta e 3 dentes de alho picados.

Acrescentei 1 colher de sopa de conhaque para deglacear as raspinhas da carne do fundo da frigideira.

Juntei cerca de 2 xícaras de brócolis cozidos picados (mais ou menos 1/2 brócolis) e deixei no fogo por uns 2 minutos.

Coloquei a carne cortada em cubos de volta na frigideira e acrescentei 1 colher de café de cúrcuma, 1 colher de sopa de gengibre ralado e 1/3 de xícara de molho de soja e misturei bem.

Acrescentei o macarrão cozido e 1 concha da água do cozimento, misturei bem e deixei no fogo baixo com a panela tampada por 10 minutos, para pegar todos os sabores e terminar de cozinhar o macarrão.

Tudo pronto em 30 minutos!

Como dizem por aí "é uma explosão de sabores"! hahahahaha

Apimentado e condimentado na medida certa! 

Pra compensar toda essa quentura, uma cerveja levinha bem gelada, cai super bem!!! 😋













quinta-feira, 3 de janeiro de 2019

Ah, o novo ano!

O fim do ano para mim é sempre um momento mais introspectivo. 

É quando vou diminuindo o ritmo, repensando os posicionamentos, analisando as decisões e maquinando os próximos passos.

Quando vou pensando no que quero fazer e quem quero ser no ano que se aproxima.

A cada dia  que passa a ideia que tenho de quem eu sou e o que quero muda. E de quem eu quero ser, mais ainda. 

Uma coisa é certa: nunca a mesma pessoa. 

A cada segundo, minuto, hora, surge um insight diferente, que nunca tinha surgido antes, que faz o rumo de alguma coisa mudar. 

A  mente não para em momento algum. 

Análises rasas ou complexas de tudo ao meu redor e tudo dentro de mim. 

Tenho estado mais atenta ao que está ao meu redor. 

As ruas por onde passo, a água do chuveiro caindo no meu rosto, a sensação do corpo em contato com a cama...

Eu nunca entendi bem a expressão "estar presente".  

Que pqp de presença é essa! Estou presente já, afinal, estou aqui!

Mas de uns (bons) tempos pra cá percebi que eu fazia as coisas meio no automático, sem prestar muita atenção em nada.

Percorro a pé praticamente o mesmo caminho para o trabalho todos os dias, há quase 10 anos, sem nunca pensar sobre isso. 

A única coisa que tinha na cabeça sempre foi chegar mais rápido.

Hoje, caminho devagar. Percebo a sombra enorme da árvore pela qual sempre passei batido. Sinto os cheiros, observo as calçadas, as lojas e sigo meu caminho com uma paz inacreditável!

Isso é um exemplo de estar presente.

Uma das coisas que eu mais amo na vida é mergulhar na piscina do sítio do meu padastro, o Peter, e prestar atenção no primeiro segundo em que a água toca os meus dedos, os braços, e depois o rosto... 

Sinto que entro de cabeça na água sorrindo!!! E a simples memória da experiência nesse momento me faz sorrir também e até me emocionar!

As pessoas estão muito pouco presentes hoje em dia. 

Tudo tudo de suas vidas é voltado para o exterior: sua profissão, suas casas, seu carro e até a decisão de casar e ter filhos.

Tenho a impressão que ninguém se conhece mais e nem faz questão de se conhecer.

É melhor viver a vida no automático mesmo, feliz ou infeliz, do que olhar pra dentro.

Olhar pra dentro e se perguntar: 

Quem eu sou? 

O que estou fazendo aqui?

Alguém sabe, genuinamente?

Quantas pessoas mantém o emprego que não suportam, o relacionamento infeliz (com quem quer que seja:, parceiro, mãe, pai, irmão), acabam com sua poupança para comprar  itens materiais que no fundo não significa nada para elas.

A palavras da moda é presença, mas deveria ser autoconhecimento.

Só está presente quem se conhece, quem sabe o que está fazendo e porque está fazendo.

Quem está voltado para dentro e não para fora. 

A vida acontece de você e não para você, como diz o Gabriel Goffi, um dos meus mentores de vida. 

Por isso nesse fim de ano, escolho ficar quieta no meu canto.

Não tem post, não tem muita publicação nas redes, mas tem muita ação.

Uma ação incessante na busca do meu melhor.

Um passo minúsculo a cada dia em direção da pessoa que eu quero ser, rumo aonde eu quero estar!

Um feliz 2019 pra você!

Que você encontre a sua essência e o seu caminho, seja como for! ✌😍



sexta-feira, 26 de outubro de 2018

Ingredientes da estação 1: abobrinha italiana. Receita 5: risotinho integral de frango e abobrinha.

Essa é a última receita com o nosso primeiro ingrediente da estação, apesar de eu ter muitas outras na mente.

Dá pra fazer omeletes, refogados, risotos de verdade e as opções não param por aí! 

Maasss, como não dá pra comer abobrinha pra sempre, paramos por aqui! Talvez isso seja assunto para um e-book!

Para unir o útil ao útil: usar um ingrediente da estação e evitar o desperdício, ontem foi dia de missão resgate na geladeira, ou seja, usar os restinhos de comida pronta para preparar algo totalmente novo!

O que saiu foi um risoto integral de frango desfiado e abobrinha bem simplesinho e rápido, mas supreendente em termos de sabor!

O segredo? Nenhum! Ou quase nenhum! rs

Em uma frigideira funda, aqueci 1 colher de sopa de azeite e juntei 1/2 cebola laminada que já estava na geladeira (sensacional!).

Deixei no fogo até ficar bem douradinha e depois juntei 1 peito de frango cozido (que também já estava pronto, rá) desfiado.

Quando todos estavam bem fritinhos, acrescentei 1 xícara e 1/2 de abobrinhas cortadas fininhas (que sobraram da pizza da semana passada) e 1/2 xícara de água.

Tampei a panela e deixei uns 5 minutos no fogo, até a abobrinha ficar al dente (odeeeeeeio legume esturricado!).

Desliguei o fogo, finalizei com queijo provolone ralado grosso, tampei a panela e esperei o queijo derreter.

O toque final: salpiquei um pouquinho de pimenta caiena na hora de servir. 

Tem que ser bem pouquinho, porque a bicha arde!

Tão simples e tão gostoso!


Melhor do que usar um ingrediente orgânico da estação
é aproveitar os restinhos da geladeira e zerar o desperdício!








quarta-feira, 24 de outubro de 2018

Ingrediente da estação 1: abobrinha italiana. Receita 4: antepasto de abobrinha rapidinho!

Genteee, emoção plena esse antepasto de abobrinha de ontem! 

Sou apaixonada por esses antepastos de legumes e de todos que eu já fiz, esse virou meu favorito instantaneamente! 


É bem rápido e fácil de fazer e usa uma panela só. Ou seja, nem preguiça dá!

Fiz enquanto meu marido acendia a churrasqueira - terça é dia de churrasco aqui em casa, morram de inveja hahahahahaha - com uma das últimas abobrinhas da geladeira.

Usei azeite, cebola, alho, pimentão vermelho e azeitonas verdes sem caroço, mas você pode usar o que quiser ou tiver.

Olha que fácil:

Ralei 1 abobrinha grande na parte grossa do ralador.

Piquei 1/2 cebola grande, 4 dentes de alho, 1 pimentão vermelho, 1 xícara de azeitonas verdes sem semente e 1/2 maço de salsinha. Reservei todo mundo.

Em um frigideira grande, aqueci uma boa quantidade de azeite extra-virgem e acrescentei a cebola.

Quando ficaram transparentes, juntei o alho e deixei no fogo baixo até começar a dourar.

Aumentei o fogo e acrescentei a abobrinha e o pimentão.

Deixei no fogo por uns 10 minutos até a água secar, mexendo de vez em quando, e depois juntei a azeitona e a salsinha. 

Temperei com sal e pimenta do reino branca, misturei tudo e deixei mais uns 5 minutos no fogo baixo.

Coloquei em um pote de vidro na geladeira e deixei de um dia pro outro (tipo, hoje)! 

Não precisou de mais nada além de um pãozinho e uma cerveja pra acompanhar!

Quem precisa de mais?


Coisa das mais gostosas da vida!
A felicidade é simples!














sábado, 20 de outubro de 2018

Ingrediente da estação 1: abobrinha italiana. Receita 3: quiche integral de abobrinha

Ter uma quiche no congelador é uma mão na roda! 

Faz bonito em uma refeição rápida, para receber visitas de última hora ou pra levar pro almoço de família no fim de semana!

É tão básica, que qualquer ingrediente pode fazer parceria para o creme básico que compoe o recheio, inclusive, e principalmente, legumes e verduras da estação!

Como a abobrinha é a bola da vez, foi ela que compôs o recheio da minha quiche na manhã de hoje!

A preparação não é das mais rápidas e nem das mais fáceis, mas pode ser bem simplificada quando preparada em etapas. Por exemplo: num dia a massa, no outro, o recheio e no terceiro você só monta e assa. 

Se quiser encarar a tarefa de uma vez só, prepare-se para passar entre 1 - 1 1/2 na cozinha. Nada sério.

Essa receita é para 1 forma de torta com fundo removível de 23 cm. 


Eu sempre começo pelo recheio, porque dá tempo de esfriar enquanto preparo a massa.

Em uma panela média, refoguei  1/2 cebola e 1 dente de alho  (dispensáveis) em um pouco de azeite e depois adicionei 2 abobrinhas médias fatiadas (cerca de 300 gramas).

Temperei com sal e pimenta do reino branco e misturei bem. Acrescentei 200ml de água, tampei a panela e deixei cozinhar por uns 10 minutos (até a abobrinha ficar levemente macia).

Transfei o refogado para um tigela, cobri com plástico filme e coloquei na geladeira.

Já a massa, a melhor forma que encontrei de fazer, depois de ter tentado dezenas, foi no processador. Dá pra fazer na mão, mas leva mais do que o dobro do tempo.

Processei em velocidade lenta (5) 200 gramas de farinha de trigo integral peneirada + 100 gramas de farinha de trigo integral + 150 gramas de manteiga gelada cortada em cubos + 1 colher rasa de sal até obter a consistência de uma farofa. É rapidinho.

Acrescentei 1 ovo e 50 ml de creme de leite fresco e bati na velocidade três até a massa ficar bem resistente e começar a formar bolas (a ponto de o processador ter um pouco de dificuldade de bater). 

Transferi a massa para um tigela, formei uma bola com as mãos, enrolei com filme plástisco de coloquei na geladeira. 

O processo na mão é parecido. Você precisará chegar à consistência de farofa manuseando a farinha e a manteiga com a ponta dos dedos.

Depois, junte o ovo e o creme de leite e vá amassando tudo e, ao mesmo tempo, juntando numa bola. Não sove. Uma hora vai formar uma massa possível de juntar, mas não totalmente homogênea.

O recheio:

Resgatei a tigela com a abobrinha da geladeira (tem que estar frio).

Juntei 300 ml de creme de leite fresco, 3 ovos, sal, pimenta do reino branca e noz moscada. Misturei tudo com um garfo até formar um creme uniforme e lindo! Reservei.

Abri com a tesoura as laterais de 2 saquinhos daqueles de freezer, para armazenar comida, mantendo o meio deles unidos. Viram plásticos compridinhos.

Estendi o saco aberto em uma superfície lisa umidecida e coloquei 2/3 da massa em cima. 

Cubri com o outro saco e abri com um rolo de macarrão até sobrar 2 dedos além do diâmetro da forma.

Para colocar a massa na forma: 

1. Tirei o saquinho que cobria a massa
2. Tirei a massa da superfície com a ajuda do saquinho que estava debaixo da massa
3. Virei o saquinho em cima da forma (com a superfície exposta da massa virada para baixo) e acomodei a massa na forma pressionado a mão com o punho fechado contra a forma (em cima do saquinho) contra os cantos da massa, para ficar bem certinha.

Deu pra entender? Vou gravar um vídeo disso logo mais...rs

Os saquinhos não são negociáveis. Você não conseguirá abrir essa massa sem ele, pois ela gruda, quebra, vira um caos. 

Cubri a massa com papel alumínio (ou papel manteiga), coloquei 2 punhados de feijão (ou qualquer outra leguminosa) em cima e levei ao forno alto por 10 minutos. 

A massa precisa pré-cozinhar antes de receber o recheio. Se tudo for ao forno junto, ela corre o risco de ficar crua.

Retirei a massa do forno e tirei o papel alúminio e o feijão.

Dispus o recheio sobre a massa na forma, salpiquei queijo parmesão ralado grosso e levei ao forno novamente (alto, no talo). 

O tempo cozimento varia de acordo com a potência do seu equipamento (ui...rs). O tempo médio é 30-40 minutos.

Aí sai essa coisa linda e dourada do forno! 



As mesmas abobrinhas orgânicas maravilhosas das receitas anteriores, só que de roupa nova! 

Elas ainda vão brilhar muito por aqui!

Até mais!








sexta-feira, 19 de outubro de 2018

Ingrediente da estação 1: abobrinha italiana orgânica. Receita 2: pizza de abobrinha + Negroni durante o descanso da massa!

Que tal aproveitar que hoje é sexta e preparar uma pizza caseira com a nossa querida abobrinha?

A gente chega mais relaxado em casa e não tem tanta pressa porque não precisa acordar cedo amanhã! Então, dá pra encarar uma preparação mais caprichada!

Fora que depois que você descobrir essa dica da deusa Rita Lobo, nunca mais vai titubear pra fazer uma massa de pizza na vida (espero)! 

A coisa deu tão certo, mas tão certo que eu fiz ontem, convidei minha mamis e o Peter e antes de eles chegarem, já tava praticamente tudo pronto pra por no forno! 

Bora pra receita? 

Ela rende 4 discos de massa e dá pra umas 6 pessoas.

Em uma tigela pequena, misturei  2 colheres de chá de açúcar e 2 saquinhos de fermento biológico seco. 

Adicionei 1 e 1/2 xícara de água morna, misturei até dissolver tudo e esperei espumar. Leva uns 5 minutos.

Agora, aqui está a dica de ouro da massa: batê-la no processador ou na batedeira, com a peça tipo gancho.  

Sério, diminui em menos da metade o tempo de preparação! Santa Rita!

Então,  adicionei na vasilha do processador 6 xícaras de chá de farinha de trigo branca e 1 colher de chá de sal e bati rapidamente pra misturar.

Com o processador em velocidade lenta (1) fui adicionando a mistura do fermento (espumadona, coisa mais linda de se ver, deveria ter tirado uma foto!). 

Adicionei 1/2 xícara de chá de azeite e a mesma quantidade de água e bati numa velocidade maior (5) até a massa ficar bem pesada e desgrudar da parede da vasilha.

Pronto! Naaaada de sova na mão, que levaria pelo menos 15 minutos e muita dor no meu punho que não é lá essas coisas... rs

Untei uma tigela grande com azeite, coloquei a massa nela, cobri com um pano de prato limpo e deixei descansar por 1,5 horas.

Parece muito, mas não é!

Nesse meio tempo, dei uma tapa da cozinha, tomei um banho e preparei um Negroni:

Em um copo baixo com gelo até a metade, adicionei:

40 ml de gin
30 ml de vermute seco
30 ml de bitter (o mais popular é o Campari)

Muda a vida, juro! Deu gás para os próximos rounds da receita. Ufa!

Que foi preparar os recheios: higienizei e cortei em rodelas fininhas 1 abobrinha e ralei 1/2 quilo de mozarela com a peça lâmina do processador. 

A essa altura, a massa tinha dobrado de tamanho! Iuuuupiiiii!!!!

Quase nada é tão emocionante
quanto ver uma massa crescer!
😂
Dividi a massa em 4 partes e abri com um rolo de macarrão em uma superfície enfarinhada.

Cobri um dos discos com molho de tomate caseiro que eu já tinha pronto em casa, deixando 1 dedo da borda e depois coloquei 2 camadas de rodelas de abobrinha. Completei com bastente mozarela e azeitonas.

Foi pro forno alto por 30 minutos.

Detalhe: meu fogão é à gás de botijão, não é potente e não tem a função gratinar. Adeque o tempo e a temperatura de acordo com o seu equipamento. O queijo deve estar bem derretido, borbulhando, e a borda da pizza levemente dourada.

Sucesso total!

Faça um agrado para você mesmo e seus convidados e prepare a sua própria pizza! Além de ter apenas ingredientes escolhidos por você, o sabor é incomparável e você ainda leva grátis uma sessão de terapia, que é colocar a mão na massa!

Chama a galera que ainda dá tempo!

A foto não é das melhores porque
com convidados não dá pra enrolar!
Mas o que importa é compratilhar a
comida e bons momentos à mesa!